Um pequeno trecho do artigo publicado por  Luiz Vidal Negreiros Gomes, B.DI, M.Sc, Ph.D
Ligia Maria Sampaio de Medeiros, B.DI, M.A., M.Eng.Prod., D. Sc. sobre Criatividade

A criatividade é o fundamento do trabalho dos desenhistas, além de ser a motivação de todos os desenhistas como profissionais. A certeza de possuir um mínimo de habilidade criativa pessoal é necessária para o desenhista em sua prática, assim como é para o pedreiro necessária a confiança na sua capacidade de colocar os tijolos aprumados.

A concepção de um produto no Design não é simplesmente a representação visual da forma ou de predeterminados, mas um criativo processo de catalisação no qual fatores externos interagem com a crença, o talento e a habilidade do desenhista. A influência dos fatores externos é geralmente muito importante para o estabelecimento dos parâmetros na função utilitária do Design… a criatividade do desenhista geralmente determina até que ponto as formas resultantes oferecem experiências estética e possuem funções psicológicas e simbólicas. Mas sabendo que algumas das dificuldades em se estudar a criatividade têm sido conseqüência da falta de diferenciação entre os vários níveis em que o indivíduo pode expressá-la, temos procurado desenvolver o pensamento produtivo divergente, principalmente através de quatro meios de expressão: a fantasia, a invenção, a criatividade e a imaginação.

A citação seguinte, que distingue cinco níveis que influenciam o pensamento divergente – aquele que está diretamente relacionado com a capacidade do indivíduo de formar e transformar – ajudará a entender a nossa abordagem:

Criatividade Expressiva – expressão independente em que a habilidade e a originalidade do produto não são importantes. Isto está exemplificado nos desenhos espontâneos dos estudantes. Fomentar experiências neste nível é um pré-requisito para mais tarde, em estágios avançados, se alcançar uma criatividade altamente controlada.

Criatividade Produtiva – o indivíduo ganha domínio sobre uma porção do meio ambiente e produz um objeto. O objeto produzido não precisa ser discernível dos produtos de outros.

Criatividade Inventiva – é marcada pela presença de engenhosidade. Aqui, os novos usos de velhas idéias estão envolvidos, apesar de não haver contribuição alguma para novas idéias básicas. — Está exemplificado nas realizações dos inventores, exploradores, descobridores e todos aqueles que aprofundam novas maneiras de observar velhas coisas.

Criatividade Inovativa – aqueles que fizeram significativas alterações nos fundamentos e princípio básicos de uma teoria ou produto, alcançaram este nível. Poucos são os estudantes que conseguem alcançar este estágio, e os que conseguem têm desenvolvido a habilidade de formar conceitos abstratos.

Criatividade Emergentiva – é o mais alto nível do pensamento produtivo divergente, e que raramente surge. Este nível requer habilidade para absorver as experiências que são comuns na vida e com as quais se produz alguma coisa completamente diferente.