Nos últimos dias tem circulado na internet uma polêmica envolvendo a Scuderia Ferrari na Fórmula 1 e o seu principal patrocinador, Marlboro. O fato é que em alguns países a propaganda de cigarros e bebidas alcoolicas é proibida, logo, os carros da equipe italiana não poderiam estampar nos seus carros a assinatura visual dos cigarros Marlboro. O portal Grandepremio noticiou:

“Por meio de comunicado nesta quinta-feira (6), a Ferrari anunciou que retirou da carenagem de seus carros o polêmico código de barras, após a discussão de que estaria fazendo propaganda subliminar da Marlboro, marca de cigarro que patrocina a equipe italiana na F1. A medida passa a valer a partir da etapa da Espanha, que será disputada neste final de semana.
Na nota, a escuderia vermelha afirmou que a decisão teve como objetivo colocar um ponto final na “história ridícula” de que estaria infringindo as leis contra o tabaco da Europa. No lugar do código de barras, a F10 de Fernando Alonso e de Felipe Massa terá um retângulo, com a borda na cor branca.
Na semana passada, o jornal britânico “The Times” divulgou que respeitados profissionais da medicina inglesa chegaram a pedir a intervenção governamental para investigar se a Ferrari estava fazendo propaganda subliminar nos carros e nos uniformes dos pilotos. Um porta-voz da Comissão Europeia de Saúde Pública afirmou à publicação que a prática da Ferrari constituía uma potencial prática de propaganda subliminar, em que uma marca é tão famosa, que os consumidores reconhecem o logotipo sem realmente vê-lo.

A essa altura surge uma pergunta. Mas o que isso tem a ver com o desenho-de-comunicação?

A frase destacada logo acima diz muita coisa. Alguns desenhos se perpetuam no tempo e são reconhecidos ainda que apresentados parcialmente ou apenas sugeridos, tamanho poder de pregnância da forma possuem. Alguns princípios da Gestalt como simetria e fechamento da forma certamente são grandes responsáveis por esta reconhecibilidade. Acompanhe nas imagens que tempos atrás a Ferrari apenas substituia o logotipo Marlboro por listras pretas, porém, mantendo a forma retangular com o triangulo apontado para dentro. Com o passar do tempo a assinatura do patrocinador fora substituída por um código de barras localizado exatamente na mesma posição e com forma retangular semelhante a da marca de cigarros e isto vem sendo entendido como mensagem subliminar.

Pois bem. Já adiantando que vamos nos aprofundar no assunto mostrando que esta resistência a fragmentação não ocorre só com simbolos e logotipos. Para aguçar os curiosos lançamos um desafio. O fragmento apresentado abaixo faz parte de qual simbolo? Essa é bem fácil. Apresentaremos um estudo do mestre Joaquim Redig falando do que se refere.